Notícias e Eventos Blue Solutions

Atualizações sobre produtos, Informações Técnicas, Dicas para Ambientes de TI, Virtualização, NOC, Operações de TI, Serviços de Segurança, Serviços Gerenciados, Recuperação de Desastres, Continuidade de Negócios e notícias da Blue Solutions.

Os 12 Benefícios da Virtualização de Servidores no Datacenter

Nenhum comentário

Virtualização não é apenas "moda" que está sendo adotada nas empresas, existem benefícios reais e mensuráveis para a implantação em Datacenters, mesmo em ambientes de pequenas e médias empresas.

O melhor de tudo é que os benefícios são palpáveis para o negócio, tanto em redução de custos quanto em agilidade da equipe de TI.

Se você tem dúvidas se deve virtualizar seu ambiente, ou se sua diretoria ainda questiona a tecnologia, seguem os principais benefícios que a virtualização proporciona:

    1. Menor Aquecimento / Economia de Energia

Servidores consomem Energia Elétrica, e o poder de processamento de servidores modernos estão além da necessidade de muitas aplicações. O uso da virtualização permite múltiplas aplicações rodarem no mesmo servidor, isoladas entre si, o que traz redução do espaço utilizado e da energia elétrica para manter o servidor ligado e refrigerar o ambiente.

    2. Redução de Custos de Aquisição e Redução do Espaço Físico

Em empresas que precisam de mais de 1 servidor para executar seus sistemas, a virtualização traz redução de custos de aquisição da solução, pois um mesmo servidor pode ser utilizado para mais de um sistema, e mesmo que precise comprar um servidor com mais capacidade de processamento, memória e disco para dar conta de diversos sistemas, o custo extra desses recursos é bem menor comparado a adquirir um novo servidor para cada sistema.

Só para exemplificar, ao invés de comprar 6 servidores de pequeno porte, como um Dell PowerEdge T110, pode-se comprar apenas 1 servidor de médio porte como o Dell PowerEdge R620 por cerca de 30% do custo inicial.

Para empresas pequenas, não é necessário investir em licenças de software extras para virtualização, os principais fornecedores (VMware e Microsoft) disponibilizam licenças gratuitas de seus produtos. (restrições se aplicam)

    3. Green IT / TI Sustentável

Além de reduzir os custos de aquisição e consumo de energia, a virtualização impacta diretamente no meio ambiente. No final da vida útil, existirão menos servidores para serem descartados, resultando em menos materiais tóxicos no meio ambiente.

Em um ambiente virtual é possível configurar para que alguns Hosts sejam desligados durante o período de menor demanda (fins de semana e a noite por exemplo). Um exemplo dessa tecnologia é o DPM (Distributed Power Management) da VMware.

Além da economia de energia direta dos servidores, diminui também a necessidade de refrigeração do ambiente.

    4. Menor tempo de parada em manutenções programadas

Em um ambiente virtualizado é possível migrar as aplicações entre servidores físicos on-line, sem desligar ou interromper o serviço, chamado de vMotion (VMware), XenMotion (Citrix) ou Live Migration (Microsoft). Isso permite a execução de tarefas rotineiras, como upgrade de firmware de servidores por exemplo, em horário comercial, sem parar os sistemas e sem pagar horas extras.

Outras manutenções mais complexas podem se beneficiar também, é possível "suspender" uma máquina virtual pouco antes de uma parada do hardware, e quando o mesmo voltar, basta retomar a máquina virtual, ela carregará do ponto onde estava, com os sistemas executando.

Mesmo em um upgrade de ambiente, é possível migrar as máquinas virtuais entre servidores velhos e novos, diminuindo o tempo de reinstalação e configuração da solução.

Fazendo o upgrade do firmware de servidores, também não é necessário realizar o upgrade de drivers nas máquinas virtuais, já que estas não enxergam a camada de hardware diretamente.

    5. Rápida recuperação de falhas, backup otimizado e Recuperação de Desastres fácil

Quando um servidor físico apresenta problemas, o tempo para voltar em produção depende muito de estratégias de backup e ferramentas, é necessário uma ferramenta para imagem do sistema operacional, outra para backup, outra para aplicar atualização de patches e drivers, para só depois restaurar o backup.

Um cluster de servidores virtuais traz por padrão a proteção contra a falha física de servidores, as máquinas virtuais são protegidas por um recurso chamado High Avaliability (HA), onde, na falha do servidor que está executando, a mesma é ligada em um outro servidor automaticamente, e em poucos minutos o sistema está recuperado automaticamente.

Também com uma máquina virtual é possível utilizar ferramentas com o Veeam Backup ou o VMware VDP para gravar a imagem da máquina virtual, efetuar o backup e até replicar a máquina virtual para outro Datacenter. Em caso de falhas, é possível restaurar a máquina virtual rapidamente em outro servidor físico, sem se preocupar com drivers e outros detalhes, provendo uma recuperação muito rápida do ambiente.

    6. Ambientes de Testes

Com um ambiente virtual é muito simples clonar um conjunto de máquinas virtuais, colocar em um ambiente separado (uma VLAN diferente por exemplo) e executar testes, tanto de atualizações do sistema operacional, quanto atualizações e modificações dos sistemas de produção, como ERP e CRM.

Também é possível utilizar o recurso de Snapshots para upgrades controlados, por exemplo, em uma atualização de versão de um sistema ERP, pode-se criar um Snapshot pouco antes do serviço, executar a atualização, caso detecte algum problema logo após a atualização, basta voltar o Snapshot de antes da atualização para voltar a versão estável em produção, uma operação de poucos segundos, e não de horas como seria voltar um backup.

    7. Provisionamento rápido de novos aplicativos e servidores

A virtualização é ideal para atender o crescimento rápido dos negócios, pois possibilita o provisionamento de um servidor em poucos minutos, ao invés de vários dias como seria o processo com servidores físicos.

Antes da virtualização, o processo para provisionar um novo servidor consistia em cotações, compra, entrega, instalação física, alocação de porta de rede, energizar, instalar o sistema operacional e drivers, para só então começar a trabalhar de verdade.

Depois da virtualização, basta escolher um template com o sistema operacional correto e fazer o deploy do mesmo, em poucos cliques o servidor estará instalado e configurado na rede, pronto para instalar as aplicações. Esse tempo é mais reduzido ainda para instalar as aplicações se o fabricante entregar um Appliance Virtual (veja mais nesse outro artigo)

    8. Independência de fornecedor

Outra das vantagens da virtualização é a abstração total do hardware, assim, a máquina virtual não fica presa a um tipo de processador, controladora de disco, placa de rede ou qualquer outro dispositivo, permitindo migra-la de hardware muito facilmente.

Com isso, quando for executar a próxima compra de servidores e storage, é possível confrontar os preços muito facilmente, sem se preocupar com os custos de migração de plataforma e reinstalação do ambiente, basta movimentar as máquinas virtuais.

    9. Isolamento de Serviços e Aplicações

Muitas vezes para economizar servidores, vários serviços são consolidados no mesmo servidor. É comum por exemplo, em pequenas empresas, o servidor de AD ser o mesmo servidor de Arquivos, ou o servidor Linux que fornece Internet também hospedar a homepage da empresa e outros sistemas Web.

O problema disso é que algumas aplicações que executam bem em conjunto quando instaladas, podem conflitar depois de um tempo com as atualizações, com requisitos de bibliotecas, versões de bancos de dados e drivers específicos, causando problemas. Também não tem como priorizar recursos para aplicativos no mesmo servidor.

Com a virtualização, é possível ter a mesma economia de servidores, mas cada aplicação fica isolada, com seu sistema operacional, bibliotecas e drivers independentes, e é possível dar maior ou menor prioridade para cada uma.

    10. Manter sistema legado

É comum encontrar algum sistema legado, conectado em um computador velho em um canto do Datacenter/CPD. Essa aplicação normalmente não tem mais suporte do fabricante (por falta de contrato ou por ter sido descontinuada mesmo), mas é importante estar ali para fins de conformidade e auditoria.

Virtualizando essa aplicação é possível mitigar os principais riscos: quebra do hardware físico (e falta de peças de reposição), corrompimento do sistema de arquivos, backup, disponibilidade, ou seja, a aplicação recebe todo o benefício do ambiente virtual.

    11. Automatização de processos e contabilização de recursos

Em implementações mais avançadas, é possível automatizar tarefas da TI para agilidade nos negócios.

O recurso mais simples disponível é o Template de máquinas virtuais, onde algumas máquinas virtuais modelos são criadas, com sistema operacional instalado e boas práticas já aplicadas, para rápido provisionamento pela equipe de TI.

Outro recurso bem conhecido é o DRS da VMware (Distributed Resource Scheduler), que migra as máquinas virtuais de acordo com a necessidade de processamento e memória das mesmas. Esse recurso em conjunto com o DPM pode ser usado para economia de energia, como tratado no tópico acima sobre Green IT.

Mas existem níveis de automatização bem maiores que podem ser conseguidos, é possível, por exemplo, determinar que uma máquina de teste seja excluída automaticamente se ficar 30 dias sem ser utilizada.

Também é possível criar um portal self-service para o usuários avançados, por exemplo: para que desenvolvedores criem os ambientes de testes que precisam sem intervenção da equipe de operações.

Outra funcionalidade forte é a contabilização dos recursos. Com a tendência de isolamento das aplicações, é possível indicar quais VMs pertencem a qual departamento, e contabilizar quantos recursos estão sendo usados por cada departamento, permitindo a TI indicar os custos por área de negócio.

    12. Migração para a Computação em Nuvem facilitada

Muitos dos provedores de nuvem suportam IaaS (Infrastructure as a Service), assim, uma máquina virtual pode ser facilmente migrada da estrutura interna para a nuvem sem maiores dificuldades (saiba mais nesse artigo sobre Computação em Nuvem).

Virtualizar seu ambiente atual é o primeiro passo rumo à computação em nuvem. É uma das formas da TI estar mais ligada ao negócio, e entregar mais funcionalidades com menos recursos.

Fernando Ulisses dos Santos
Diretor Técnico Blue Solutions
Certificado VMware VCP, VCP-DT, VCAP-DTD



Leia também:
O que é virtualização?
O que é uma máquina virtual?
O que é computação em nuvem?
O que é um virtual appliance?

Nenhum comentário :

Postar um comentário